03/01/2017 23:42

Paulo Serra corta Pastas de Política para Mulheres e Direitos Humanos

Por: Jessica Marques (jessica.marques@abcdmaior.com.br)

Gestão alega dívidas para realização de reforma administrativa e outras medidas de corte

Uma das marcas do governo Paulo Serra (PSDB), em Santo André,são os cortes de gastos públicos. A gestão municipal já cortou secretarias durante a reforma administrativa, como Direitos Humanos, Política para Mulheres, Trabalho, Orçamento e Planejamento, Comunicação e Secretaria de Gestão de Recursos Naturais de Paranapiacaba e Parque Andreense.

Paulo Serra anunciou nesta terça dois decretos que representam cortes de gastos. Foto: Tiago Silva
Paulo Serra anunciou nesta terça dois decretos que representam cortes de gastos. Foto: Tiago Silva

De acordo com o prefeito, a extinção das Pastas não vai afetar a população. “Elas foram absorvidas nas políticas de outras secretarias, mas sem a estrutura, que é o que a gente está enxugando”, afirmou. Serra não precisou o valor que o corte reduz em gastos mensais para o município, mas afirmou que grande parte está relacionada à redução de comissionados.

Na tarde desta terça-feira (03/01), o prefeito anunciou dois decretos que pretendem cortar gastos no município. Um deles trata justamente da redução de 40% da quantia gasta com comissionados. “Vamos congelar o valor gasto com os cargos, não uma quantidade de funcionários específica”, explicou. Somente desta forma, a economia de recursos será real, conforme avaliação de Serra.

Além disso, serão reduzidas as funções gratificadas, ou seja, funcionários concursados que recebem aumento, por terem adquirido novas responsabilidades, por exemplo. “Cada função e cada funcionário serão analisados individualmente”, afirmou.

A estimativa é de que somente o gasto mensal com funcionários comissionados é de R$ 2,7 milhões por mês. Somando as duas medidas, de redução do valor gasto com comissionados e funções gratificadas, a estimativa é de uma economia de aproximadamente R$ 30 milhões por ano.

DÍVIDAS COM PRESTADORES DE SERVIÇOS

Outro decreto anunciado nesta terça-feira foi a criação da Comissão de Saneamento das Contas Públicas. Trata-se de uma equipe que vai analisar as dívidas flutuantes da cidade. Para isso, todo o valor devido a prestadores de serviços será congelado por 90 dias.

Neste período, empresas prestarão serviços normalmente e receberão apenas pelos trabalhos executados neste ano. As dívidas serão negociadas paralelamente à medida. “A partir de março os fornecedores começam a receber o valor das dívidas e isso vai evoluindo”, disse. “O compromisso é pagar em fevereiro os serviços de janeiro”.

De acordo com os cálculos feitos pela equipe de Paulo Serra, a dívida pública é de mais de R$ 300 milhões, sendo R$ 255 milhões referentes a 2016 e R$ 51,8 milhões de anos anteriores. O montante se divide em repasses para a Fundação do ABC, contas de água, luz e telefone, medicamentos, pequenos e médios credores.


Tags:
prefeitura santo andré medidas econômicas

Compartilhe essa matéria

Deixe seu comentário

Para participar efetue o login, ou cadastre-se
Observação: as opiniões aqui publicadas são de responsabilidade apenas de seus autores. Os números de IP dos responsáveis pelos comentários estarão à disposição de vítimas de eventuais ofensas veiculadas neste espaço.

{{comments.length||0}} comentários