03/01/2017 22:02

Morando pretende cortar R$ 650 milhões para "economizar"

Por: Karen Marchetti (karen@abcdmaior.com.br)

Novo prefeito de São Bernardo anunciou nesta terça-feira, um pacote medidas de austeridade neste primeiro ano de mandato

O novo prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), anunciou na tarde desta terça-feira (03/01), um pacote de medidas de cortes de verba que serão tomadas a partir desta quarta-feira (04/01), quando serão publicadas no diário oficial. Dentre as ações, estão o fim de horas extras dos funcionários, corte de 30% dos comissionados, suspensão do repasse da subvenção às escolas de samba, revisão de todos os contratos vigentes e contingenciamento de 40% do orçamento. (Veja todas as medidas anunciadas abaixo)

Prefeito também vai cortar 30% dos comissionados. Foto: Andris Bovo
Prefeito também vai cortar 30% dos comissionados. Foto: Andris Bovo

De acordo com Morando, com o pacote de medidas anunciados deve chegar a uma economia de aproximadamente R$ 150 milhões neste ano. Entretanto, o prefeito explicou que os cortes não são para gerar superávit. O pacote de austeridade é para “fechar o ano”.

“Essas são as primeiras medidas. Não fico feliz de ter que cortar repasse as escolas de samba e nem acabar com as horas extras, mas são medidas necessárias, disse Morando

Veja quais são as medidas implementadas a partir desta quarta-feira:

  • 40% de contingenciamento do Orçamento de 2017

O orçamento de São Bernardo previsto para 2017 é de R$ 4,7 bilhões (aprovado na Câmara). Entretanto, o novo prefeito já prevê que a arrecadação será 45% menor. Diante deste cenários, Morando irá contingenciar 40% deste montante. Inicialmente, antes de assumir o Paço, era congelar cerca de 30%. Morando prevê, neste caso, deixar de gastar cerca de R$ 650 milhões.

  • Analisar todos os pagamentos pendentes relativos a serviços prestados em 2016

Por meio de dois decretos, todas as secretarias terão de fazer uma auditoria nas contas a pagar deixadas pela gestão anterior. O valor divulgado pela Prefeitura foi de R$ 143,4 milhões, porém, o valor será ainda maior. Entretanto, de acordo com o prefeito, nesta terça-feira foi informado de uma cobrança de R$ 65 milhões de obras do Drenar (combate a enchente).

De acordo com Morando, o valor só será pago às empresas depois da auditoria e de negociar o valor. O prefeito pretende ter desconto de 50% e parcelar o valor negociado. O objetivo dos gestores é ter desconto de aproximadamente R$ 70 milhões.

  • Auditar todos os contratos vigentes

Atualmente, a Prefeitura tem R$ 420 milhões de recursos em contratos vigentes. Todas as secretarias estão autorizadas, por meio de decreto, rever e negociar com as empresas na expectativa de reduzir os custos. O objetivo, neste caso, é reduzir em 10% o valor de todos os contratos.

  • Corte de 30% dos comissionados

Nesta quarta-feira, será publicado o decreto de corte de 30% dos cargos comissionados e o objetivo é reduzir a folha de pagamento em R$ 20 milhões ao ano. A Prefeitura, que ao todo são cerca de 14 mil funcionários, tem mil cargos em comissão.

  • Reduzir 100% de horas extras

Nenhum funcionário público poderá fazer horas extras a partir de primeiro de fevereiro. A decisão, também será publicada por decreto nesta quarta-feira. As horas a mais trabalhadas no último mês serão quitadas, de acordo com prefeito.

  • 80% dos imóveis alugados pela Prefeitura serão entregues

O prefeito determinará a redução de 80% dos imóveis locados pela Prefeitura. A maioria, são serviços estaduais ou judiciais, que a administração municipal fez uma parceria com o governo estadual para pagar o aluguel. No caso de São Bernardo, são delegacias e cartórios eleitorais.

De acordo com Morando, os cortes serão feitos onde não prejudicará o serviço prestado e serão realocados em espaços ociosos de prédio próprio. Ao todo são 35 prédios e o custo anula é de R$ 3,3 milhões.

  • Reduzir conta de água, uso de ar condicionado, ventiladores e lâmpadas

Morando fará o controle dos prédios públicos para que economize energia e água. Além disso, pretende negociar redução da conta de água com a Sabesp.

  • Acabar com repasse para escolas de samba

Pelo menos, em 2017 a Prefeitura não irá repassar o subsidio de R$ 1,2 milhão às escolas de samba de São Bernardo. Morando garantirá apenas a estrutura de trânsito e segurança, caso as escolas consigam apoio para fazer a festa popular. As agremiações ainda não foram comunicadas da decisão. “Não impede de mais para frente voltar, mas agora, neste ano, não podemos fazer o repasse”, disse Morando.

  • Corte dos carros oficiais

Os secretários, prefeito e vice terão de trabalhar com o próprio carro. Morando já negocia a rescisão do contrato de aluguel de 26 carros que custa por ano aos cofres públicos R$ 2,5 milhões.


Tags:
orlando morando são bernardo prefeito prefeitura

Compartilhe essa matéria

Deixe seu comentário

Para participar efetue o login, ou cadastre-se
Observação: as opiniões aqui publicadas são de responsabilidade apenas de seus autores. Os números de IP dos responsáveis pelos comentários estarão à disposição de vítimas de eventuais ofensas veiculadas neste espaço.

{{comments.length||0}} comentários