19/12/2016 16:45

Michels promete arrocho nas contas, mas sem aumento de imposto

Por: Karen Marchetti (karen@abcdmaior.com.br)

Prefeito reeleito e os 21 vereadores foram diplomados nesta segunda-feira na Câmara Municipal

Diplomação foi realizada na Câmara Municipal. Foto: Divulgação PMD/Marcos Luiz

Sob aplausos e vaias, o prefeito reeleito de Diadema, Lauro Michels (PV) foi diplomado pela Justiça Eleitoral nesta segunda-feira (19/12), com o discurso de que entendeu o recado da população, por não ter sido eleito no primeiro turno, e garante “arrocho nas contas públicas” sem aumento de imposto à população.

“Fui releito, mas eu passei com recuperação. Entendi o recado da população. Foram algumas falhas, já identificadas e vamos tomar atitude neste segundo mandato. Será um governo que irá realizar muita coisa, mas vivemos uma crise, que não é só de Diadema. Vou precisar da maioria na Câmara para aprovar os ajustes necessários, mas não é aumento de imposto. O que terá é arrocho nas contas”, explicou o prefeito.

Além de Michels, o seu vice-prefeito eleito, Márcio da Farmácia (PV) e os 21 vereadores eleitos também foram diplomados. Os políticos eleitos em outubro deste ano, tomarão posse dos mandatos no próximo dia primeiro às 16h no Teatro Clara Nunes.

A cerimônia de diplomação foi acompanha por cerca de 200 pessoas, entre familiares e grupo de apoio dos eleitos.


Maioria na Câmara

Michels cobrará acordo de aliados. Foto: Divulgação PMD/ Marcos Luiz
Michels cobrará acordo de aliados. Foto: Divulgação PMD/ Marcos Luiz

Assim como aconteceu nos primeiros quatro anos de governo, Michels deve iniciar o segundo mandato sem a maioria na Câmara Municipal. A coligação vitoriosa nas urnas elegeu a maioria dos parlamentares, 14 dos 21.

Entretanto, a segunda maior bancada, com cinco eleitos (PPS e DEM) já rompeu com o governo e indicará o Rivelino Teixeira de Almeida, o Pretinho (DEM), vice-presidente do time da cidade, Água Santa como candidato a presidente da Câmara.

Michels, após ser diplomado nesta segunda-feira, afirmou que cobrará os acordos feitos com PPS e DEM. “Vou tentar ter maioria na Câmara. As pessoas precisam fazer uma reflexão de consciência. Quem estava com o governo, se elegeu com o governo tem que continuar com o governo. Preciso da maioria na Câmara para aprovar os ajustes que serão necessários”, concluiu o prefeito.

Compartilhe essa matéria

Deixe seu comentário

Para participar efetue o login, ou cadastre-se
Observação: as opiniões aqui publicadas são de responsabilidade apenas de seus autores. Os números de IP dos responsáveis pelos comentários estarão à disposição de vítimas de eventuais ofensas veiculadas neste espaço.

{{comments.length||0}} comentários