12/06/2017 12:02

Diretas Já leva multidões às ruas em quatro importantes capitais neste domingo

Por: Rede Brasil Atual (pauta@redebrasilatual.com.br)

São Paulo, Salvador, Recife e Porto Alegre realizaram atos-show que levaram milhares a defender o Fora Temer e o voto popular como saída para atual crise política

Manifestantes tomaram o Farol da Barra, em Salvador, para defender o direito ao voto como saída para a crise. Foto: Mídia Ninja

Milhares de pessoas participaram das mobilizações ocorridas neste domingo (11/05) em quatro das principais capitais do país – São Paulo, Salvador, Recife e Porto Alegre – reivindicando a saída do presidente Michel Temer (PMDB-SP) e a realização de eleições diretas já, com a participação popular como saída para a atual crise política. Nas quatro cidades, os manifestantes também protestaram contra os projetos de reforma trabalhista e da Previdência, principais bandeiras do atual governo.

Na maior delas, em Salvador, o ato Bahia Pelas Diretas reuniu cerca de 100 mil pessoas, segundo estimativa da frente Brasil Popular, uma das organizadoras, em conjunto com demais movimentos sociais e partidos. Desde a tarde, os manifestantes acompanharam os shows de mais de 20 artistas e bandas, com destaque para as estrelas da música baiana Daniela Mercury e Margareth Menezes, além da banda BaianaSystem.

"O canto dessa cidade é pelas diretas", afirmou Daniela, durante a apresentação. Já em coletiva, a cantora afirmou que o país vive um "estado de exceção" e que é preciso "iluminar a rua com democracia". Margareth lembrou de "milhares de vidas sendo sacrificadas" pela corrupção e o vocalista da BaianaSystem, Russo Passapusso, pregou desobediência às ordens de "vossa excelência", em referência ao atual presidente.

Também estiveram presentes a senadora Lídice da Mata (PSB-BA) e os deputados federais Alice Portugal, Daniel Almeida e Deivison Magalhães, todos do PCdoB. Já o presidente da CUT-BA, Cedro Silva, destacou a importância da greve geral, marcada para o próximo dia 30, no esforço para barrar as reformas de Temer.

Para Mariana Jorge, estudante de jornalismo da Universidade Federal da Bahia (UFBA), é importante a soma de artistas às entidades que já fazem o movimento “contra a atual situação política do país”.

“Para nós, do movimento estudantil, não dá pra falar de protesto sem pensar na atualização desses métodos de organização. Entendemos que a luta não deve envolver apenas os grandes trios e os movimentos sindicais. Para alcançar mais pessoas, devemos trazer a cultura para a linha de frente desse processo", argumentou a estudante.

Mulheres

Em São Paulo, foram as mulheres que deram o tom no ato "por diretas e por direitos", realizado no largo do Arouche, que reuniu também artistas, intelectuais, políticas e lideranças do movimentos sociais.

Manifestação das mulheres em São poaulo foi no largo do Arouche. Foto: Divulgação

Marcado pela diversidade, passaram pelo palco montado no largo do Arouche as artistas Lurdez da Luz, Brisaflow, Tati Botelho, Preta Rara, Stefanie Roberta, Barbara Sweet, Luana Hansen e Aíla, Ana Cañas, Flora Matos, As Bahias e A Cozinha Mineira e os coletivos Slam das Minas, Trans-Sarau.

"Nos sentimos sub-representadas na política. Esse ato é para as mulheres terem fala própria, para dar visibilidade às mulheres, porque são as que mais vão sofrer com a agenda retrógrada e direitos", declarou a socióloga e professora da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) Esther Solano.

"Hoje, estar aqui nesse ato no Largo do Arouche, que foi palco de grandes manifestações no Brasil, é fundamental para dizer 'Diretas já' e por uma Constituinte que nos respeite. Somos 54% da população e as perdas de direitos caem sobre nós", afirmou Eleonora Menicucci, socióloga e ex-ministra de Política para as mulheres.

Recife

Já o evento Recife pelas Diretas não contou apenas com a convocação e divulgação pelas redes sociais, mas também se utilizou de financiamento coletivo (crowdfunding) para colocar o bloco na rua, que reuniu milhares, no Cais da Alfândega, no centro da capital pernambucana, até o fim da noite.

Manifestação no Recife teve financiamento coletivo para a organização. Foto: Divulgação
Manifestação no Recife teve financiamento coletivo para a organização. Foto: Divulgação

Passaram pelo trio elétrico os artistas Marco Polo, Fábio Trummer, Canibal, Beth de Oxum, Banda Rossi, Juliano Holanda, Roger de Renor, Mônica Feijó, Fred Zero Quatro e a Banda Rossi, dentre outros.

Precisamos resgatar nossa democracia, e garantir os nossos direitos conquistados à custa de muita luta e sangue dos que nos antecederam", afirmou Carlos Veras, presidente da CUT-PE, uma das entidades que apoiaram o movimento, juntamente com as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Os organizadores não divulgaram estimativa de público.

Sul

Ato no parque da Redenção, em Porto Alegre, contou com a participação de 30 mil pessoas. Foto: Divulgação
Ato no parque da Redenção, em Porto Alegre, contou com a participação de 30 mil pessoas. Foto: Divulgação

Desde a manhã, os gaúchos se reuniram no parque da Redenção para exigir a saída de Temer e a realização de eleições diretas. Os organizadores estimaram a participação em cerca de 30 mil pessoas, que puderam acompanham apresentações dos artistas Bagre e Ernesto Fagundes, Hique Gomez, Antônio Villeroy, Negras em Canto, Bebeto Alves, Nani Medeiros e Raul Elwanger.

Com informações daAgência Brasil.


Tags:
diretas já manifestação

Compartilhe essa matéria

Deixe seu comentário

Para participar efetue o login, ou cadastre-se
Observação: as opiniões aqui publicadas são de responsabilidade apenas de seus autores. Os números de IP dos responsáveis pelos comentários estarão à disposição de vítimas de eventuais ofensas veiculadas neste espaço.

{{comments.length||0}} comentários