03/01/2017 14:20

Verão dá praia e riscos de afogamento

Por: Jessica Marques (jessica.marques@abcdmaior.com.br)

Número de ocorrências mais que dobrou. Bombeiros dão dicas de segurança

O verão convida ao lazer na água. A época pede praia, piscina e até mesmo um rio ou cachoeira. No entanto, nadar ou brincar nestes locais requer cuidados e atenção. O número de afogamentos no Estado de São Paulo mais que dobrou entre 2014 e 2015.

Banhistas devem escolher local com segurança e estrutura para banho Foto: Fabiano Ibidi

Em 2014, segundo o Corpo de Bombeiros, ocorreram 245 atendimentos para afogados no Estado. Já em 2015, o número saltou para 551. A razão do aumento não foi identificada, mas a imprudência ou o aumento do calor são possíveis fatores. Os dados do ano passado ainda não foram computados.

De acordo com a capitão Cintia Nardy, porta-voz do Corpo de Bombeiros, entre os locais com maior incidência de afogamento está o Interior de São Paulo, por conta dos rios e represas. “Muitos são em locais ermos”, disse. Apesar de no ABCD ser comum o lazer às margens da represa Billings, na prainha do Riacho Grande, não há dados expressivos de afogamento na Região.

Diversas medidas podem ser tomadas para evitar afogamentos, principalmente nesta época do ano. Confira as orientações feitas por Cintia para curtir as férias com segurança em locais para banho:

ESTRUTURA

O banhista deve procurar locais com estrutura para banho, com guarda-vidas, boia de proteção para evitar jet ski e lanchas. Deve ser um local reconhecido pela Prefeitura para banho, não um lugar ermo e com difícil acesso para a passagem de uma viatura, por exemplo.

PROFUNDIDADE

Água no umbigo é sinal de perigo. É sempre bom conversar com o guarda-vidas e perguntar onde é o local mais adequado para entrar na água e também saber a profundidade.

COMIDA E BEBIDA

É preciso evitar bebida alcoólica antes de entrar na água, porque nadar requer habilidade e reflexos. Comer antes de entrar na água pode causar congestão.

CUIDADOS NO MAR

Para sinalizar os locais de perigo, os Bombeiros identificam a corrente de retorno, que é a área onde a água retorna para o mar. Se o banhista entra neste local, é puxado para dentro e não consegue sair. Em praias com ondas, o local sem onda é o mais perigoso, ao contrário do que muitos podem pensar. É exatamente neste ponto que a água que vem com as ondas para a praia retorna para o mar.

PISCINA

Em casas com criança, é preciso colocar uma cerca em volta da piscina e sempre ter uma proteção. Adultos têm mais discernimento, mas sempre é bom perguntar a profundidade da piscina para o dono da casa, antes de entrar na água.

COMPANHIAS

Evite nadar sozinho. Há a possibilidade de passar mal dentro da água ou, no cado dos idosos, ocorrer um infarto.

SINALIZAÇÃO

É importante sempre respeitar a sinalização. Em locais com placas de proibição de entrar ou de propriedade particular, não é recomendado nadar. Em lugares impróprios pode haver tocos de árvore, pedras, correnteza, buracos ou ser muito profundo. Nas praias, o banhista deve ficar atento às bandeiras que sinalizam “perigo”, colocadas pelo Corpo de Bombeiros.

SALVAMENTO

Em hipótese alguma tente o salvamento em caso de afogamento. Ligue para o telefone 193. Salvar alguém requer preparo físico, e a pessoa que tenta socorrer uma vítima pode se afogar com ela.


Tags:
bombeiros corpo de bombeiros calor verão

Compartilhe essa matéria

Deixe seu comentário

Para participar efetue o login, ou cadastre-se
Observação: as opiniões aqui publicadas são de responsabilidade apenas de seus autores. Os números de IP dos responsáveis pelos comentários estarão à disposição de vítimas de eventuais ofensas veiculadas neste espaço.

{{comments.length||0}} comentários