26/05/2010 00:00

S.Bernardo perde 15 hectares de Mata Atlântica

Por: Renan Fonseca (renan@abcdmaior.com.br)

Desmatamento foi causado pelas obras do Rodoanel, de acordo com secretário de Meio Ambiente

 

A Mata Atlântica foi desmatada em 15 hectares (mais de 150 mil m²) no território de São Bernardo. As demais cidade da Região que têm mata não apresentaram perda superior a 3 hectares, que equivale à média de crescimento urbano. A conclusão é do Instituto SOS Mata Atlântica, que divulgou nesta quarta-feira (26/05) o "Atlas de Remanescentes Florestais", referente ao triênio 2008/2010.

Em todo o Estado, o levantamento realizado em parceria com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) apontou recuo no desmatamento da fauna e flora atlânticas, que ocupam 1.300.000 km2, ou seja, 15% do território brasileiro. O relatório foi divulgado um dia antes do Dia da Mata Atlântica.

Mesmo sem a ação do desmatamento, o relatório da ONG (organização não governamental) aponta que a porcentagem de remanescentes da Mata Atlântica é pequena na Região. Em algumas cidades restam menos de 10% da vegetação nativa.

É o caso de Mauá. Inicialmente inserida em uma área de 422 hectares de área verde nativa, restam apenas 7%. A realidade em Diadema é mais alarmante. A cidade tinha 65,52 hectares, restando atualmente 2%. Santo André e São Bernardo, ambas com grandes áreas de Mata Atlântica, conservam, respectivamente, 36% e 43%.

“Na Região Metropolitana de São Paulo, o desmatamento está em queda”, disse uma das coordenadoras do levantamento, Márcia Hirota. A especialista argumentou que a redução do desmatamento é visível em todo o Estado. “Contudo, algumas regiões apresentaram dados preocupantes, como o Vale do Ribeira, que agrega a maior área de Mata Atlântica do País”, informou.

Até o final do ano, a SOS Mata Atlântica vai divulgar as causas do recuo da área verde em todas as cidades contidas na amostragem. “Nossos esforços são para que nos próximos anos o desmatamento chegue a zero”, pontuou a coordenadora.

Márcia disse que o desmatamento visto em São Bernardo está dentro da média nacional. “É preciso levantarmos as causas. A Lei da Mata Atlântica permite o desmatamento apenas para finalidades de bem comum”, afirmou .

Na visão do secretário de Meio Ambiente do município, Gilberto Marson, as obras do Trecho Sul do Rodoanel Mário Covas provocaram a perdas na área verde. “A culpa é do governo do Estado, que vai ter de reparar todo o desmatamento através de compensações ambientais”, criticou o gestor.

Compartilhe essa matéria

Deixe seu comentário

Para participar efetue o login, ou cadastre-se
Observação: as opiniões aqui publicadas são de responsabilidade apenas de seus autores. Os números de IP dos responsáveis pelos comentários estarão à disposição de vítimas de eventuais ofensas veiculadas neste espaço.

{{comments.length||0}} comentários