05/02/2014 00:00

Diadema faz rodízio no abastecimento de água

Por: Claudia Mayara (mayara@abcdmaior.com.br)

Com falta de água no Estado, Saned deixa alguns bairros sem água para que abastecimento chegue nas partes altas da cidade

 

As altas temperaturas aliadas ao elevado consumo e à falta de chuvas deste verão têm prejudicado o abastecimento de água de várias cidades do Estado de São Paulo. Em Diadema, a Saned (Companhia de Saneamento de Diadema), que está em processo de fusão com a Sabesp (Saneamento Básico do Estado de São Paulo), iniciou o sistema de rodízio no fim de janeiro e realiza contenções diárias no fornecimento de água para que o abastecimento chegue aos bairros mais altos. 

A divulgação dos bairros afetados é feita pelo Facebook, um dia antes do rodízio, mas a maioria da população não sabe que o sistema está sendo adotado, mesmo tendo de enfrentar torneiras secas. Diadema recebe água do Sistema Rio Grande, em São Bernardo, que nesta quarta-feira (05/02) estava com 91,2% da capacidade, de acordo com a Sabesp. 

Nesta quarta-feira, o reservatório Sanko, que abastece basicamente o Parque Real, não forneceu água ao bairro de origem para ajudar os outros três reservatórios da cidade a levar água às demais partes do município. 

 

AFETADOS

A restrição de abastecimento desta quarta atingiu moradores da estrada do Pedregulho, avenida Afonso M. da Cruz (do nº 538 em diante), avenida dos Signos e das ruas Luiz A. Viveiros, Maria Rita Pereira, Glauber Rocha, Denise M. Santa Lucia, Guilherme Augusto, Vereador Gentil Santo de Paula, dos Sovietis, Érico Veríssimo, Emílio Ribas, Claudino de Oliveira Pessoa, Tupinambás (até rua dos Tamoios), Sul, avenida Peixe e Guilherme de Almeida e passagem Nicarágua. 

Também nesta quarta-feira, a partir das 20h, a Saned iniciou a contenção de água no Centro, Inamar e Eldorado. A previsão era que o retorno do abastecimento fosse realizado a partir das 6h desta quinta-feira (06/02). A normalização se dará de forma gradual durante o dia e a noite nesses três bairros.   

O aumento do consumo na cidade varia entre 10% e 30% no verão, de acordo com a companhia. Mas neste ano o consumo aumentou ainda mais em função das altas temperaturas dos últimos dias, de acordo com a Saned, que não quantificou a alta.

Escolha leva em conta o nível dos reservatórios

A decisão sobre o rodízio de água em Diadema leva em conta análise diária dos técnicos da Saned sobre o funcionamento da rede, por meio de um sistema informatizado que mostra o nível de cada reservatório – dois no Inamar, um no Jardim das Nações e um no Parque Real – e a quantidade de abastecimento de cada bairro. É assim que a companhia escolhe qual parte da cidade ficará temporariamente sem abastecimento. 

Os mais prejudicados são os bairros altos, cerca de 75% da cidade. “A fim de distribuir a água disponível para o município todo, a Saned é obrigada a restringir, temporariamente, o fornecimento em determinados locais”, diz nota da Saned.

 A relação das vias afetadas é publicada, com um dia de antecedência, no Facebook. Para saber, acesse o link https://www.facebook.com/pages/SANED/166297366757590. 

Compartilhe essa matéria

Deixe seu comentário

Para participar efetue o login, ou cadastre-se
Observação: as opiniões aqui publicadas são de responsabilidade apenas de seus autores. Os números de IP dos responsáveis pelos comentários estarão à disposição de vítimas de eventuais ofensas veiculadas neste espaço.

{{comments.length||0}} comentários